não sei

não sei

Dedicação á minha filha Vania

A Vania no dia em que se vestiu para ir ao casamento da filha da sua madrasta (namorada do seu pai), tinha passado grande parte da noite anterior no hospital com fortes dores abdominais pelas quais receamos que fosse uma crise de apendicite, mas que(uuuuuuuuuuufffffa) não foi mais do que nervos acumulados pela pressão do stress

Dedicação á minha filha Vania

A Vania no dia em que se vestiu para ir ao casamento da filha da sua madrasta (namorada do seu pai), tinha passado grande parte da noite anterior no hospital com fortes dores abdominais pelas quais receamos que fosse uma crise de apendicite, mas que(uuuuuuuuuuufffffa) não foi mais do que nervos acumulados pela pressão do stress

A DENSIDADE DO QUE NÃO É…

A densidade do que não é,
a força do que não se tem,
amontoa a água da vida e cria um rumor de fundo
para todos os gestos.
 
Até o tecido preto da morte
tem um palido fio
onde a trama cede e se aligeira
porque lhe falta a morte.
 
E até o que nunca viveu
e nunca morrerá
ergue-se na greta de uma ausencia
que lhe empresta o seu corpo.
 
A pedra do não ser,
a certeira condição negativa,
a pressão do nada,
é o ultimo apoio que nos resta.
 
 
                                                                                                               (Roberto Juarroz)
                                                                                                                  (1925-1995)

A DENSIDADE DO QUE NÃO É…

A densidade do que não é,
a força do que não se tem,
amontoa a água da vida e cria um rumor de fundo
para todos os gestos.
 
Até o tecido preto da morte
tem um palido fio
onde a trama cede e se aligeira
porque lhe falta a morte.
 
E até o que nunca viveu
e nunca morrerá
ergue-se na greta de uma ausencia
que lhe empresta o seu corpo.
 
A pedra do não ser,
a certeira condição negativa,
a pressão do nada,
é o ultimo apoio que nos resta.
 
 
                                                                                                               (Roberto Juarroz)
                                                                                                                  (1925-1995)