Feliz Natal ao Mundo

A todas a pessoas do mundo, quer sejam Homens Mulheres ou Crianças, eu desejo Um Natal cheio de amor, paz e carinho, desejo acima de tudo que Deus nos proteja a todos nós, pois no final de contas nós somos todos juntos e cada um de nós a sua mais bela obra, pena que também sejamos nós que estraguemos a mais bela obra de o nosso Criador,

Feliz Natal ao Mundo

A todas a pessoas do mundo, quer sejam Homens Mulheres ou Crianças, eu desejo Um Natal cheio de amor, paz e carinho, desejo acima de tudo que Deus nos proteja a todos nós, pois no final de contas nós somos todos juntos e cada um de nós a sua mais bela obra, pena que também sejamos nós que estraguemos a mais bela obra de o nosso Criador,

IMORTAIS DO AMOR

Um mover de olhos, brando e piedoso,

     Sem ver de quê; um sorriso brando e honesto,
     Quase forçado; um doce e humilde gesto,
Um despejo quieto quieto e vergonhoso;
   Um repouso gravissimo e modesto;
   Uma pura bondade, manifesta
   Indicio de alma, limpo e gracioso
Um encolhido ousar, uma brandura;
   Um medo sem ter culpa, um ar sereno;
   Um longo e obediente sofrimento;
Esta foi a celeste formosura
     Da minha circe, e o magico veneno,
     Que pode transformar meu pensamento.
 
 

IMORTAIS DO AMOR

Um mover de olhos, brando e piedoso,

     Sem ver de quê; um sorriso brando e honesto,
     Quase forçado; um doce e humilde gesto,
Um despejo quieto quieto e vergonhoso;
   Um repouso gravissimo e modesto;
   Uma pura bondade, manifesta
   Indicio de alma, limpo e gracioso
Um encolhido ousar, uma brandura;
   Um medo sem ter culpa, um ar sereno;
   Um longo e obediente sofrimento;
Esta foi a celeste formosura
     Da minha circe, e o magico veneno,
     Que pode transformar meu pensamento.
 
 

O AMOR

Por mais que o poder e o dinheiro tenham
 conquistado uma ótima posição no ranking
 das virtudes, o amor ainda lidera com folga.
 Tudo o que todos querem é amar.
 Encontrar alguém que faça bater forte
 o coração e justifique loucuras.
 Que nos faça entrar em transe,
 cair de quatro,babar na gravata.
 Que nos faça revirar os olhos, rir à toa,
cantarolar dentro de um ônibus lotado.
 Depois que acaba esta paixão retumbante,
 sobra o que? O amor…

Mas não o amor mistificado, que muitos julgam
 ter o poder de fazer levitar.
 O que sobra é o amor que todos conhecemos,
 o sentimento que temos por mãe,
 pai, irmão e filho.
 É tudo o mesmo amor, só que entre amantes
 existe sexo. Não existem vários tipos de amor,
 assim como não existem três tipos de saudades,
 quatro de ódio, seis espécies de inveja.
 O amor é único, como qualquer sentimento,
 seja ele destinado a familiares,
 ao cônjuge ou a Deus.
 A diferença é que, como entre marido e mulher
 não há laços de sangue, a sedução tem que
 ser ininterrupta. Por não haver nenhuma
 garantia de durabilidade, qualquer alteração
 no tom de voz nos fragiliza, e de cobrança
 em cobrança acabamos por sepultar
 uma relação que poderia ser eterna.

Casaram.
 Te amo prá lá, te amo prá cá.
 Lindo, mas insustentável…

O sucesso de um casamento exige mais
 do que declarações românticas!
 Entre duas pessoas que resolvem dividir o
 mesmo teto, tem que haver muito mais do
 que amor, e às vezes nem necessita
 de um amor tão intenso.
 É preciso que haja, antes de mais nada, respeito.
 Agressões zero.
 Disposição para ouvir argumentos alheios.
 Alguma paciência. Amor, só, não basta.
 Não pode haver competição. Nem comparações.
 Tem que ter jogo de cintura para acatar regras
 que não foram previamente combinadas.
 Tem que haver bom humor para enfrentar imprevistos, acessos de carência,
 infantilidades. Tem que saber levar.

Amar, só, é pouco. Tem que haver inteligência.
 Um cérebro programado para enfrentar
 tensões pré-menstruais, rejeições,
 demissões inesperadas, contas prá pagar.
 Tem que ter disciplina para educar filhos,
 dar exemplo, não gritar.
 Tem que ter um bom psiquiatra.
 Não adianta, apenas, amar.

Entre casais que se unem visando à longevidade
 do matrimônio tem que haver um pouco de
 silêncio, amigos de infância, vida própria,
 um tempo prá cada um.
 Tem que haver confiança.
 Uma certa camaradagem, às vezes fingir
 que não viu, fazer de conta que não escutou.
 É preciso entender que união não significa,
 necessariamente, fusão. E que amar,
 "solamente", não basta. 

Entre homens e mulheres que acham
 que o amor é só poesia, tem que haver
 discernimento, pé no chão, racionalidade.
 Tem que saber que o amor pode ser bom,
 pode durar para sempre, mas que sozinho
 não dá conta do recado.
 O amor é grande mas não é dois.
 É preciso convocar uma turma de sentimentos
 para amparar esse amor que carrega
 o ônus da onipotência.
 O amor até pode nos bastar,
 mas ele próprio não se basta.

Um bom Amor aos que já têm!
 Um bom encontro aos que procuram!
 E felicidades a todos nós!

 
 
 
 
     Este texto foi retirado de uma pagina da internet,
     Por ser totalmente de acordo com o que nele vem escrito eu resolvi inseri-lo aqui no meu espaço, desde já agradeço á Iaraaaa, a autora do texto.

O AMOR

Por mais que o poder e o dinheiro tenham
conquistado uma ótima posição no ranking
das virtudes, o amor ainda lidera com folga.
Tudo o que todos querem é amar.
Encontrar alguém que faça bater forte
o coração e justifique loucuras.
Que nos faça entrar em transe,
cair de quatro,babar na gravata.
Que nos faça revirar os olhos, rir à toa,
cantarolar dentro de um ónibus lotado.
Depois que acaba esta paixão retumbante,
sobra o que? O amor…

Mas não o amor mistificado, que muitos julgam
 ter o poder de fazer levitar.
 O que sobra é o amor que todos conhecemos,
 o sentimento que temos por mãe,
 pai, irmão e filho.
 É tudo o mesmo amor, só que entre amantes
 existe sexo. Não existem vários tipos de amor,
 assim como não existem três tipos de saudades,
 quatro de ódio, seis espécies de inveja.
 O amor é único, como qualquer sentimento,
 seja ele destinado a familiares,
 ao cônjuge ou a Deus.
 A diferença é que, como entre marido e mulher
 não há laços de sangue, a sedução tem que
 ser ininterrupta. Por não haver nenhuma
 garantia de durabilidade, qualquer alteração
 no tom de voz nos fragiliza, e de cobrança
 em cobrança acabamos por sepultar
 uma relação que poderia ser eterna.

Casaram.
 Te amo pra lá, te amo pra cá.
 Lindo, mas insustentável…

O sucesso de um casamento exige mais
 do que declarações românticas!
 Entre duas pessoas que resolvem dividir o
 mesmo teto, tem que haver muito mais do
 que amor, e às vezes nem necessita
 de um amor tão intenso.
 É preciso que haja, antes de mais nada, respeito.
 Agressões zero.
 Disposição para ouvir argumentos alheios.
 Alguma paciência. Amor, só, não basta.
 Não pode haver competição. Nem comparações.
 Tem que ter jogo de cintura para acatar regras
 que não foram previamente combinadas.
 Tem que haver bom humor para enfrentar imprevistos, acessos de carência,
 infantilidades. Tem que saber levar.

Amar, só, é pouco. Tem que haver inteligência.
 Um cérebro programado para enfrentar
 tensões pré-menstruais, rejeições,
 demissões inesperadas, contas prá pagar.
 Tem que ter disciplina para educar filhos,
 dar exemplo, não gritar.
 Tem que ter um bom psiquiatra.
 Não adianta, apenas, amar.

Entre casais que se unem visando à longevidade
 do matrimónio tem que haver um pouco de
 silêncio, amigos de infância, vida própria,
 um tempo pra cada um.
 Tem que haver confiança.
 Uma certa camaradagem, às vezes fingir
 que não viu, fazer de conta que não escutou.
 É preciso entender que união não significa,
 necessariamente, fusão. E que amar,
 “somente”, não basta. 

Entre homens e mulheres que acham
 que o amor é só poesia, tem que haver
 discernimento, pé no chão, racionalidade.
 Tem que saber que o amor pode ser bom,
 pode durar para sempre, mas que sozinho
 não dá conta do recado.
 O amor é grande mas não é dois.
 É preciso convocar uma turma de sentimentos
 para amparar esse amor que carrega
 o ónus da omnipotência.
 O amor até pode nos bastar,
 mas ele próprio não se basta.

Um bom Amor aos que já têm!
 Um bom encontro aos que procuram!
 E felicidades a todos nós!

 
 
 
 
     Este texto foi retirado de uma pagina da internet,
     Por ser totalmente de acordo com o que nele vem escrito eu resolvi inseri-lo aqui no meu espaço, desde já agradeço á Iaraaaa, a autora do texto.

O SIGNO DE AQUÁRIO

Elemento: Ar
Modo: Fixo
Planeta regente: Úrano (Saturno)
Palavra-chave: “Eu globalizo”.
Disposição: Inovar, ser observador.
Atingidas que estão as metas pessoais, é agora o momento de levar em contra as necessidades e anseios comuns a toda a Humanidade.
O tema geral do Aquário é o da comunicação social das correntes ideológicas e comunitárias. Esta tendência geral, contudo, corre o risco de se tornar excessivamente desprendida, excêntrica e distanciada da realidade.
Em Aquário, terceiro signo do Ar, a comunicação e a troca de ideias ganham uma dimensão global. Para além da curiosidade despreocupada e informal (Gémeos) e da ponderação diplomática dos relacionamentos (Balança), temos agora a constante busca por novos conceitos, mais abrangentes e expansivos.
O Modo Fixo acrescenta uma nota de estabilidade e persistência a esta busca.
O Ar Fixo de Aquário está, portanto, equipado para estabelecer e seguir uma linha de pensamento impessoal, tendo em vista a liberdade e o bem comum.
Quando o signo de Aquário está acentuado num mapa natal, toda a personalidade ganha uma expressão viva, elétrica e original. A forma de estar é cooperativa, idealista e dinâmica, um pouco avessa a exibições emocionais mas, ainda assim, solidária e prestativa.
O indivíduo parece responder a estímulos e apelos diferentes dos demais.
Pode haver muito interesse pelo futuro, em especial pelo progresso ideológico e tecnológico. É possível que exista um equilíbrio dinâmico entre a necessidade de ser único e a preocupação com os interesses e direitos da comunidade, entre a necessidade de liberdade pessoal e o empenho por causas comuns.
Um excesso de energia aquariana poderá levar a uma postura excêntrica, teimosa e rebelde, completamente inadequada à cooperação social. A necessidade de ser diferente e “livre” sobrepõe-se a tudo, gerando comportamentos de excentricidade gratuita e irresponsável. Podem estar presentes algumas dificuldades emocionais, prontamente disfarçadas por uma capa de desprendimento intelectual e pretenso individualismo.
Com um bloqueio das energias do signo de Aquário, a dificuldade está em viver a liberdade pessoal e a interação social como elementos da vida quotidiana. Pode haver uma situação de conformismo, em que se abafam as capacidades pessoais, seguida de momentos de revolta súbita e inconsequente.
Leão, o signo complementar de Aquário, vem acrescentar uma nota de individualidade e expressão pessoal a esta tónica social. A vivência do “Nós”  equilibra-se com a expressão do “Eu”.
    Muitos astrólogos consideram que o atual regente de Aquário é Úrano, um dos “planetas modernos”. Úrano tem a ver com tudo o que é novo, imprevisto, progressista, rebelde e revolucionário. Na Antiguidade a regência deste signo estava atribuída a Saturno.
 

(Autores: Helena Avelar e Luís Ribeiro)