QUEM SÃO OS PORTUGUESES?

 
 

 

 

QUEM SÃO OS PORTUGUESES?

 

Os portugueses são resultado da mistura de vários povos ao longo da História. Quando em 1415 tem início a grande empreitadas descobertas, multiplicam-se os contactos.

1415 conquista de Ceuta.
Início da Expansão Portuguesa. No século XXI há mais de 200 milhões de pessoas que falam Português. Esta é a 5.ª   língua mais falada do Mundo. 50 Milhões de pessoas são descendentes de portugueses,
34 milhões das quais vivem no Brasil.

7800  a. C. Povos do Norte de África imigram para a Península. Já conhecem a agricultura .

(São os Iberos)

700 a . C. Presença dos Fenícios no Sul do País.
Os Fenícios vêm da região que actualmente corresponde ao Líbano.

500 a .C. chegada dos Celtas originários do Vale do Reno, convivem pacificamente com os Iberos originando, segundo alguns historiadores a cultura Celtibera.
 

Gregos instalam-se no Sul da Península Ibérica.

300 a . C. Cartagineses (vieram da actual Tunísia).

218 a . C. Romanos- fixam-se na Península Ibérica.
Encontraram forte resistência na zona ocidental    do Território da parte dos Lusitanos, um dos povos celtiberos comandados por Viriato.
Com os Romanos chegam os Judeus.

411 Invasões Germânicas Povos Alanos
( vêm da Sibéria),
Vândalos e    Suevos, estes originários da Europa central  
711 Invasões Árabes- Muçulmanos da Península Arábica
868 Reconquista Cristã da cidade do Porto

1250 Reconquista Cristã do Algarve

 

FALAR DE RAÇA PORTUGUESA NÃO FAZ SENTIDO

Os portugueses, como quase todos os outros povos, são resultado da mistura, ao longo da História  de gente de varias origens. Por isso, explica o historiador e professor universitário, António Costa Pinto, não faz sentido falar de raça portuguesa. A celebração do dia da raça antes do 25 de Abril associava-se não ao ideal de pureza genética mas à unidade do Império.
O historiador lembra que o Estado Novo    tardio chegou até a apresentar os portugueses como especialmente vocacionados para a miscigenação.
Tal como outros fascismos europeus, o português não teve dimensão rácica ou racista, ao contrário   por exemplo, do nacionalismo alemão
“Muitas democracias herdaram feriados nacionais deste tipo. Em Portugal transformou-se na celebração das comunidades portuguesas.” Notando que, nos últimos 20 anos, o País passou a ser um destino de imigração, o historiador entendeu que deveria aproveitar-se a data para sublinhar “ a natureza multicultural que hoje tem a democracia portuguesa”. 

Textos retirados do Jornal o Correio da manhã
 

QUEM SÃO OS PORTUGUESES?

 
 

 

 

QUEM SÃO OS PORTUGUESES?

 

Os portugueses são resultado da mistura de vários povos ao longo da História. Quando em 1415 tem início a grande empreitadas descobertas, multiplicam-se os contactos.

1415 conquista de Ceuta.
Início da Expansão Portuguesa. No século XXI há mais de 200 milhões de pessoas que falam Português. Esta é a 5.ª   língua mais falada do Mundo. 50 Milhões de pessoas são descendentes de portugueses,
34 milhões das quais vivem no Brasil.

7800  a. C. Povos do Norte de África imigram para a Península. Já conhecem a agricultura .

(São os Iberos)

700 a . C. Presença dos Fenícios no Sul do País.
Os Fenícios vêm da região que actualmente corresponde ao Líbano.

500 a .C. chegada dos Celtas originários do Vale do Reno, convivem pacificamente com os Iberos originando, segundo alguns historiadores a cultura Celtibera.
 

Gregos instalam-se no Sul da Península Ibérica.

300 a . C. Cartagineses (vieram da actual Tunísia).

218 a . C. Romanos- fixam-se na Península Ibérica.
Encontraram forte resistência na zona ocidental    do Território da parte dos Lusitanos, um dos povos celtiberos comandados por Viriato.
Com os Romanos chegam os Judeus.

411 Invasões Germânicas Povos Alanos
( vêm da Sibéria),
Vândalos e    Suevos, estes originários da Europa central  
711 Invasões Árabes- Muçulmanos da Península Arábica
868 Reconquista Cristã da cidade do Porto

1250 Reconquista Cristã do Algarve

 

FALAR DE RAÇA PORTUGUESA NÃO FAZ SENTIDO

Os portugueses, como quase todos os outros povos, são resultado da mistura, ao longo da História  de gente de varias origens. Por isso, explica o historiador e professor universitário, António Costa Pinto, não faz sentido falar de raça portuguesa. A celebração do dia da raça antes do 25 de Abril associava-se não ao ideal de pureza genética mas à unidade do Império.
O historiador lembra que o Estado Novo    tardio chegou até a apresentar os portugueses como especialmente vocacionados para a miscigenação.
Tal como outros fascismos europeus, o português não teve dimensão rácica ou racista, ao contrário   por exemplo, do nacionalismo alemão
“Muitas democracias herdaram feriados nacionais deste tipo. Em Portugal transformou-se na celebração das comunidades portuguesas.” Notando que, nos últimos 20 anos, o País passou a ser um destino de imigração, o historiador entendeu que deveria aproveitar-se a data para sublinhar “ a natureza multicultural que hoje tem a democracia portuguesa”. 

Textos retirados do Jornal o Correio da manhã