A Mulher…

 

 

  

 

MULHER

E O CRIADOR, OLHANDO PARA TUDO QUE ATÉ ENTÃO HAVIA CRIADO, VIU QUE FALTAVA MUITO PARA COMPLETAR O MUNDO QUE HAVIA PENSADO. OLHANDO, VIU O DESLUMBRANTE AMANHECER E A NOSTALGIA DO PÔR- DO- SOL …
A INFINITUDE TRÁGICA DOS ABISMOS E A SEGURANÇA DAS PLANÍCIES …
A VORAGEM DAS CORRENTEZAS E O MARULHAR DAS ONDAS PLÁCIDAS DO MAR …
A FORÇA DAS TEMPESTADES E A CALMA DA BRISA LEVE RITMANDO O BALÉ DAS FOLHAS …
A VALENTIA DO LEÃO E A MANSIDÃO DOS POMBOS…,
  A VIOLÊNCIA DOS VULCÕES E O BRILHO LÍMPIDO DAS ESTRELAS … 
O MISTÉRIO DAS FLORESTAS …
 O BAILAR DAS BORBOLETAS …
A MAJESTADE DA ROSA E O ENCANTO DA TIMIDEZ DA VIOLETA…
A FRAGILIDADE DA FLOR E A SOLIDEZ DAS ROCHAS…,
O ARDOR DO SOL E A PLACIDEZ DA LUA …, 
A FERTILIDADE DO SOLO …
O RENASCER DA VIDA NA SEMENTE…
A DOÇURA DO MEL …
O GOSTO AMARGO DA SAUDADE…
O ACONCHEGO DOS NINHOS…
A SUAVIDADE DO CANTAR DOS PÁSSAROS…
O ENCONTRO, ORA CALMO, ORA TEMPESTUOSO DO MAR E PRAIA…
A MARAVILHA DAS CORES …
A PUREZA DOS LÍRIOS …, 
A SABEDORIA DA NATUREZA … 
A IMENSIDÃO DO MUNDO …
A SOLIDÃO DO HOMEM …! 
E NESSE MÁGICO MOMENTO DE REFLEXÃO, O CRIADOR VIU A POESIA DA VIDA QUE HAVIA CRIADO! ENTÃO, PARA COMPLETAR O MUNDO QUE HAVIA PENSADO, O CRIADOR IMAGINOU UM SER QUE REUNISSE TUDO QUANTO HAVIA VISTO, UM SER QUE PUDESSE TAMBÉM CRIAR  E DAR CONTINUIDADE À VIDA QUE ELE HAVIA CONCEBIDO… 
E NA POESIA DA VIDA, NO DESABROCHAR DA NATUREZA, O CRIADOR, COMPLETOU FINALMENTE SEU MISTER… 
PONDO NESSE ATO TODO SEU AMOR,
 ELE, ENTÃO, CRIOU A MULHER!

               (texto de Maricell  – março / 1998)

retirado do site  PortugalCompanhiaOnline

 

Anúncios

A Mulher…

 

 

  

 

MULHER

E O CRIADOR, OLHANDO PARA TUDO QUE ATÉ ENTÃO HAVIA CRIADO, VIU QUE FALTAVA MUITO PARA COMPLETAR O MUNDO QUE HAVIA PENSADO. OLHANDO, VIU O DESLUMBRANTE AMANHECER E A NOSTALGIA DO PÔR- DO- SOL …
A INFINITUDE TRÁGICA DOS ABISMOS E A SEGURANÇA DAS PLANÍCIES …
A VORAGEM DAS CORRENTEZAS E O MARULHAR DAS ONDAS PLÁCIDAS DO MAR …
A FORÇA DAS TEMPESTADES E A CALMA DA BRISA LEVE RITMANDO O BALÉ DAS FOLHAS …
A VALENTIA DO LEÃO E A MANSIDÃO DOS POMBOS…,
  A VIOLÊNCIA DOS VULCÕES E O BRILHO LÍMPIDO DAS ESTRELAS … 
O MISTÉRIO DAS FLORESTAS …
 O BAILAR DAS BORBOLETAS …
A MAJESTADE DA ROSA E O ENCANTO DA TIMIDEZ DA VIOLETA…
A FRAGILIDADE DA FLOR E A SOLIDEZ DAS ROCHAS…,
O ARDOR DO SOL E A PLACIDEZ DA LUA …, 
A FERTILIDADE DO SOLO …
O RENASCER DA VIDA NA SEMENTE…
A DOÇURA DO MEL …
O GOSTO AMARGO DA SAUDADE…
O ACONCHEGO DOS NINHOS…
A SUAVIDADE DO CANTAR DOS PÁSSAROS…
O ENCONTRO, ORA CALMO, ORA TEMPESTUOSO DO MAR E PRAIA…
A MARAVILHA DAS CORES …
A PUREZA DOS LÍRIOS …, 
A SABEDORIA DA NATUREZA … 
A IMENSIDÃO DO MUNDO …
A SOLIDÃO DO HOMEM …! 
E NESSE MÁGICO MOMENTO DE REFLEXÃO, O CRIADOR VIU A POESIA DA VIDA QUE HAVIA CRIADO! ENTÃO, PARA COMPLETAR O MUNDO QUE HAVIA PENSADO, O CRIADOR IMAGINOU UM SER QUE REUNISSE TUDO QUANTO HAVIA VISTO, UM SER QUE PUDESSE TAMBÉM CRIAR  E DAR CONTINUIDADE À VIDA QUE ELE HAVIA CONCEBIDO… 
E NA POESIA DA VIDA, NO DESABROCHAR DA NATUREZA, O CRIADOR, COMPLETOU FINALMENTE SEU MISTER… 
PONDO NESSE ATO TODO SEU AMOR,
 ELE, ENTÃO, CRIOU A MULHER!

               (texto de Maricell  – março / 1998)

retirado do site  PortugalCompanhiaOnline