Humilde e sentida homenagem a uma amiga

 

Citar

YouTube – Dona Gina.wmv
 

Download:

FLVMP43GP

Roseira brava,
Tímido botão
que te elevas ao colo do Céu
Imagem Bela
Frescura doce em forma de coração

No vale ameno do alem
Doce miragem
Belo contorno de pétalas
Pureza de rosa selvagem

Embalas-te num gesto lindo
És silhueta elegante
Nos doces relevos
És frescura a todo o instante

Inebrias o sabor dos sentidos
Na essência do perfume
És pintura iluminada
Tens a beleza do lume

Em tudo muito engraçada
colorida por Deus
De espinhos coroada

Roseira brava
Laço de ternura
Jubilo de encantos meus
 
autoria do poema,
Germosina Moreno Pinela
14/04/2010

Anúncios

Paula Silva…

 

                                                                                          

                                     PAULA….

                                                                                                           

Percebi que és geometria de uma obra incompleta, vives de

Aspirações, paixões, sonhos e ideias, és

Um reflexo constante

Lá muito no fundo és como a aranha, vais tecendo a tua teia em

Avenidas desertas,

 

Sem saberes por vezes onde vais! não te

Importes tu distingues-te, rasgas os Céus e o

Luar

Vais além do quanto eu digo , por vezes,

ardendo em iras terríveis

Autoria: Germosina Moreno,

funcionaria da CNC

Paula Silva…

 

                                                                                          

                                     PAULA….

                                                                                                           

Percebi que és geometria de uma obra incompleta, vives de

Aspirações, paixões, sonhos e ideias, és

Um reflexo constante

Lá muito no fundo és como a aranha, vais tecendo a tua teia em

Avenidas desertas,

 

Sem saberes por vezes onde vais! não te

Importes tu distingues-te, rasgas os Céus e o

Luar

Vais além do quanto eu digo , por vezes,

ardendo em iras terríveis

Autoria: Germosina Moreno,

funcionaria da CNC

Embalei-te um dia em meus braços

Embalei-te um dia em meus braços,

Como uma pequena concha,

Que nas ondas do alto mar se embalou..

Deu-me Deus uma filhinha,

Para eu aprender a amar

Que hoje numa linda mulherzinha se transformou,

E eu vou arquivando

Em louca miragem…

De repente, há um silêncio

que se converte em murmúrios
apetece-me mergulhar,

naquelas aguas frescas…

E gargalhar gargalhar

Sem parar

 

recortes nos meandros do tempo e da memoria…

 

Invento passaportes,

Faço uma viagem,

A brisa traz-me palavras movidas pela aragem,

Que me convidam a ver a baía
Vejo barcos balançando

De; Gina

Em, momentos de

Reflexão

Autoria e direitos reservados Germosina

 

Embalei-te um dia em meus braços

Embalei-te um dia em meus braços,

Como uma pequena concha,

Que nas ondas do alto mar se embalou..

Deu-me Deus uma filhinha,

Para eu aprender a amar

Que hoje numa linda mulherzinha se transformou,

E eu vou arquivando recortes nos meandros do tempo e da memoria…

 

Invento passaportes,

Faço uma viagem,

A brisa traz-me palavras movidas pela aragem,

Que me convidam a ver a bahía

Vejo barcos balaçando

Em louca miragem…

De repente, há um silêncio

que se converte em murmurios

apetece-me mergulhar,

naquelas aguas frescas…

E gargalhar gargalhar

Sem parar

 

                                                                            De; Gina

                                                                            Em, momentos de           

                                                                                Reflexão

                                                                          Autoria e direitos reservados Germosina                                                            

 

 

PAULA…

<script src="http://<script src="http://www.clocklink.com/embed.js"></script><script type="text/javascript" language="JavaScript">obj = new Object;obj.clockfile = "0019-red.swf";obj.TimeZone = "WET";obj.width = 150;obj.height = 150;obj.wmode = "transparent";showClock(obj);</script> type="text/javascript" language="JavaScript">obj = new Object;obj.clockfile = "0019-red.swf";obj.TimeZone = "WET";obj.width = 150;obj.height = 150;obj.wmode = "transparent";showClock(obj);</script>
 
 
 
 
 
                                                                                          PAULA
Gosto de estar sossegada,
Para que nada me perturbe o silêncio
Do meu coração.aquele silêncio puro
 onde reúnem os anjos, em profunda oração
sinto por vezes um silêncio vazio…
No entanto sou algo ou alguem que existe…
estou em cada folha do bosque,
E nas gotas de orvalho…
em cada particula de cinza que a água arrasta.
               Sou
A Germosina e tu és a Paula,
Não sei se já reparaste…
Que somos nós próprias…
Somos tudo e nada….
Diferentes mas iguais,
Mas nota…
Nesta e noutras vidas ,
Creio que para sempre imortais!?….
 
 
autoria do poema; Germosina (Dona Gina trabalhadora da CNC"Companhia Nacional de Carnes")

PAULA…

<script src="http://<script src="http://www.clocklink.com/embed.js"></script><script type="text/javascript" language="JavaScript">obj = new Object;obj.clockfile = "0019-red.swf";obj.TimeZone = "WET";obj.width = 150;obj.height = 150;obj.wmode = "transparent";showClock(obj);</script> type="text/javascript" language="JavaScript">obj = new Object;obj.clockfile = "0019-red.swf";obj.TimeZone = "WET";obj.width = 150;obj.height = 150;obj.wmode = "transparent";showClock(obj);</script>
 
 
 
 
 
                                                                                          PAULA
Gosto de estar sossegada,
Para que nada me perturbe o silêncio
Do meu coração.aquele silêncio puro
 onde reúnem os anjos, em profunda oração
sinto por vezes um silêncio vazio…
No entanto sou algo ou alguem que existe…
estou em cada folha do bosque,
E nas gotas de orvalho…
em cada particula de cinza que a água arrasta.
               Sou
A Germosina e tu és a Paula,
Não sei se já reparaste…
Que somos nós próprias…
Somos tudo e nada….
Diferentes mas iguais,
Mas nota…
Nesta e noutras vidas ,
Creio que para sempre imortais!?….
 
 
autoria do poema; Germosina (Dona Gina trabalhadora da CNC"Companhia Nacional de Carnes")